Terceira Margem Amazônia, Vol. 5, No 13 (2019)

VULNERABILIDADES DA PRODUÇÃO DE CASTANHA DO BRASIL NO PROJETO DE ASSENTAMENTO AGROEXTRATIVISTA BOTOS (HUMAITÁ/AM)

Luciano Ferreira Paes, Francimara Souza da Costa, Ana Claudia Fernandes Nogueira, José Cunegundes Weckner Rodrigues, Vilmara Rocha Graça

Resumo


Os Projetos de Assentamento Agroextrativistas (PAE), implantados muitas vezes sem o conhecimento das peculiaridades regionais e de suas populações tradicionais, apresentam vulnerabilidades tanto sociais quanto ambientais. Esse trabalho objetivou, portanto, identificar e analisar as vulnerabilidades relacionadas à produção de castanha do brasil no PAE Botos, localizado em Humaitá-AM. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas junto aos extrativistas da área e os dados foram sistematizados e analisados por meio de quadro analítico. Identificadas as vulnerabilidades sociais e ambientais, verificou-se que estas podem ser classificadas em internas ao assentamento, como a falta de organização da associação e os conflitos entre os próprios extrativistas; e externas, como a abertura de estrada e entrada de pessoas não assentadas. Tais vulnerabilidades causam descontentamentos e insegurança aos assentados extrativistas, no entanto, abandonar o assentamento não é uma opção em decorrência dos laços de identidade com o lugar.

Texto Completo: PDF