Terceira Margem Amazônia, Vol. 3, No 11 (2018)

ADUBAÇÃO FOSFATADA E POTÁSSICA: EFEITO NA ALTURA DA PLANTA E NO DIÂMETRO DO CAULE DE MANDIOCA

Letícia de Paula Neves de Souza, Bruno Fernando Faria Pereira, Inocencio Junior de Oliveira, Carlos Alberto Franco Tucci, Jonathas Paiva do Nascimento

Resumo


No estado do Amazonas há uma circular técnica que recomenda a adubação para o cultivo da mandioca, contudo os estudos são incipientes, e poucos investigam os efeitos de doses crescentes de fósforo (P) e potássio (K) na cultura, apesar da escassez desses nutrientes nos solos e sua essencialidade para as plantas. Objetivos: i) Avaliar a influência do P e K na altura e no diâmetro da mandioca; ii) Analisar a concentração de K foliar ao longo do cultivo da mandioca. Metodologia: O cultivo foi implantado em um Latossolo Amarelo distrófico, organizado em três blocos casualizados com os tratamentos em esquema fatorial 5 × 5, combinando se doses crescentes de P2O5 (0, 30, 60, 120, 240 kg ha-1) e de K2O (0, 20, 40, 80 e 160 kg ha-1), totalizando 25 tratamentos e 75 parcelas. As alturas das plantas e os diâmetros dos caules foram medidos aos 90, 180 e 270 dias de cultivo. Para a avaliação do estado nutricional, nas parcelas que receberam as doses de adubação recomendadas, 60 kg ha-1 P2O5 e 40 kg ha-1 de K2O, procedeu-se à análise foliar de K. Resultados: A adubação com K influenciou no diâmetro do caule aos 270 dias de cultivo, sendo a dose de 90 kg ha-1 de K2O a que proporcionou maior diâmetro. A influência do P foi observada apenas no início do cultivo, aos 90 dias. As plantas que receberam a adubação ideal, dos 90 aos 180 dias, apresentaram teor de K foliar dentro da faixa de concentração ideal, 13 a 20 g kg-1. Já aos 270 dias, a concentração estava abaixo dessa faixa. Conclusão: A dose de 90 kg ha-1 de K2O proporciona o maior diâmetro do caule da mandioca. Há possibilidade de amostragem foliar até aos 180 dias, para a avaliação de K foliar. Nas condições estudadas, o P apresentou influência apenas no período inicial de crescimento da mandioca.

Texto Completo: PDF